Organização de ambientes: um olhar complementar


Por Carla Costa

Estive em visita à Casa Cor Curitiba, realizada na sede da Editora Paulo Pimentel, ao lado do Bosque Alemão. O evento expõe o que há de novo no mercado da arquitetura de interiores, paisagismo e organização de ambientes. Com muita arte e design executados sob a batuta de profissionais altamente qualificados.
Em companhia da profissional Tereza Karam, Personal Organizer, Psicóloga de formação e fotógrafa pude percorrer cada um dos 48 ambientes como em uma aula experimental, com a mente e coração abertos para o novo num diálogo sobre a percepção do trabalho proposto.

A visão apurada desta Personal Organizer não se limita somente ao senso de organização e setorização, mas guarda a sutileza do olhar que enquadra um detalhe para o melhor ângulo da foto para o blog, além da análise do traço psicológico do cliente para quem aquele ambiente foi criado.

Não seria este o verdadeiro sentido de complementaridade?

Enquanto eu Arquiteta e Paisagista estudo fluxos, ergonomia, projeto luminotécnico, cores, formas e faço uma anamnese da rotina para a qual aquele projeto será criado, a Personal Organizer refina minhas escolhas naquilo que terá sustentabilidade no sentido da organização, uma vez que não queremos esconder objetos e pertences, e sim mapearmos ambientes com a história do cliente, onde ele se identifique, tenha seu tempo otimizado sem perda por excessos, e com autonomia dê continuidade à organização espacial.

O passeio rendeu bons frutos da observação apurada comum ao perfil de nossas competências profissionais, acentuado pelo olho feminino que prima por detalhes imperceptíveis à maioria.

Biblioteca no conceito da Arquiteta Janaina Macedo

Biblioteca no conceito de Janaina Macedo

 

Sapateira funcional no ‘Quarto da Moça’ por Yara Mendes

 

Dica da Tere 2

Detalhe no guarda roupa do ‘Quarto da Moça’ com iluminação de led criado por Yara Mendes

 

‘Quarto do Bebê’ no conceito da Arquiteta Fernanda Distéfano com o tema “Haras do Vitório”

Enquanto a Personal Organizer atenta à praticidade, ao senso estético proposto na coerência espacial do arranjo de cada profissional, a Arquiteta mergulha nas formas de uma cadeira de design exclusivo, na iluminação estudada para destacar um determinado uso, na harmonia de cores, no atendimento estético-funcional da busca da poesia sem excessos, que transmita a mensagem para que veio.

A cadeira com iluminação convida à leitura na Biblioteca criada pela Arquiteta Janaina Macedo em homenagem ao juiz Sérgio Moro

 

E por falar em leitura, esta iluminação indireta criada pelo Studio Guilherme Torres foi testada e aprovada

Foram horas de diálogos, paradas para comentários e cafezinhos, a visão que se completa, se complementa. Se por um lado uma percebe os ambientes como a somatória de formas que compõem um conjunto, a outra percebe cada detalhe que atenderá seu cliente da melhor forma possível. O trânsito das informações não tem hierarquia ou posto fixo, visto que ambas guardam formações acadêmicas e recursos não formais que permeiam entre si.

Na cafeteria do ambientado pela arquiteta Viviane Tabalipa, uma parada para usufruir o aroma do café e deixar a o diálogo fluir

Para cada cliente, o desenho do perfil psicológico que personificará o ambiente desejado e a planificação apurada que a arquitetura de interiores propõe, sempre acompanhada pela Personal Organizer durante a elaboração da setorização de funções.

Resultado?

Cliente atendido em toda a sua essência, através da união de especialidades que qualificam profissionais para criar um ambiente feliz com rotina de objetos, documentos e pertences dentro do executado.

Deixe sua Resposta