Onde você habita, numa moradia ou lar?


Por Tereza Karam

O lugar onde habitamos primeiramente deve ser considerado um refúgio, onde nossas necessidades básicas são supridas, onde podemos repousar o corpo que contém nosso ser. Um lugar para morar é necessário, está na lista das motivações básicas, mas será que ele é um lar? Quando buscamos na história da civilização a necessidade de refúgio, encontramos as cavernas rupestres, um local de moradia para proteção e segurança e onde a vida era compartilhada através dos desenhos nas paredes, dando a identidade de quem morava ali.

Arte em caverna rupestre (Imagem do Google)

Passeando pelo mundo, vemos muitos conceitos de moradia refletindo as condições ambientais e a cultura do povo e observamos que a salubridade ambiental apresenta uma ampla gama de variantes, pois somos capazes de adaptação a ruídos, cheiros, temperatura… Esta adaptação está diretamente vinculada ao estado emocional encontrado nos relacionamentos e compartilhados no ambiente.

Casas no Mar Mediterrâneo (Imagem do Google)

Ser feliz numa casa, não está diretamente relacionada com a condição financeira, mas com o respeito às características e particularidades dos moradores. Aí começamos a definir o local de habitar como um lar, onde encontramos felicidade, paz, tranquilidade, conforto e estabilidade.

Casa de container (Imagem do Google)

Chegar num lar pode ser comparado ao ir de encontro à um amigo onde recebemos afeto, alegria, confiança, onde podemos ser nós mesmos e compartilhar momentos.

Casa na roça (Imagem Pinterest)

Muitas vezes, temos uma moradia mas não desejamos voltar para ela, ficamos vagando por espaços públicos como shoppings, bares ou fazendo hora extra no trabalho. Esta fuga emocional, pode desencadear sintomas físicos acionados pelos estressores internos que fazem parte do nosso modelo mental. Aí entra em cena a Psicologia Ambiental, que estuda a relação que a pessoa estabelece com seu meio ambiente, sua subjetividade, individualidade e coletividade. É possível ser feliz onde você habita, respeitando seu perfil de personalidade, sua história e utilizando técnicas de organização universais.

Dica da Tere: analise suas emoções no ambiente em que está inserido: desmotivação, tristeza e tédio podem ser sinais de que seu ambiente precisa de organização e repaginação.

A Psicologia Ambiental ensina você a criar um ambiente emocional interno equilibrado e um espaço físico organizado e feliz, respeitando seu perfil de personalidade.

Deixe sua Resposta